"A verdadeira poesia não diz nada, apenas destaca as possibilidades. Abre todas as portas. As pessoas podem atravessar aquela que se lhes ajusta." Jim Morrison

A cada passo

Passo a passo

Ideia a ideia

Uma mente sozinha começa a trabalhar

Ela cria para sobreviver

Ela fingi

Ela engana

Ela faz de tudo para não esquecer

Ela faz de tudo para não se perder

Em meio às pedras, ela cria seu próprio caminho

Por cima de brasas, ela acha o equilíbrio

Cercado por espinhos, ela acha a saída

Porque ela sabe que depois disto sua felicidade virá

Ele sabe disto por experiência própria

Passo a passo; ele caminha para sua saída

Passa a passo; ele triunfara

Brasa a brasa; ele apagará

Brasa a brasa; ele criara

Espinho por espinho: ele arrancará

E no fim, estará a sua felicidade

No fim do caminho ele entendera

No fim do caminho seu anjo estará

No fim do caminho…

Pablo S Rosa

Anúncios

Uma resposta

  1. Passo a passo, podem chegar ou distanciar.
    A direção, o rumo, o objetivo é determinante.
    Para quem tem pressa, não adianta disparar.

    Disparada
    Geraldo Vandré
    Composição : Geraldo Vandré e Theo de Barros
    Prepare o seu coração
    Prás coisas
    Que eu vou contar
    Eu venho lá do sertão
    Eu venho lá do sertão
    Eu venho lá do sertão
    E posso não lhe agradar…
    Aprendi a dizer não
    Ver a morte sem chorar
    E a morte, o destino, tudo
    A morte e o destino, tudo
    Estava fora do lugar
    Eu vivo prá consertar…
    Na boiada já fui boi
    Mas um dia me montei
    Não por um motivo meu
    Ou de quem comigo houvesse
    Que qualquer querer tivesse
    Porém por necessidade
    Do dono de uma boiada
    Cujo vaqueiro morreu…
    Boiadeiro muito tempo
    Laço firme e braço forte
    Muito gado, muita gente
    Pela vida segurei
    Seguia como num sonho
    E boiadeiro era um rei…
    Mas o mundo foi rodando
    Nas patas do meu cavalo
    E nos sonhos
    Que fui sonhando
    As visões se clareando
    As visões se clareando
    Até que um dia acordei…
    Então não pude seguir
    Valente em lugar tenente
    E dono de gado e gente
    Porque gado a gente marca
    Tange, ferra, engorda e mata
    Mas com gente é diferente…
    Se você não concordar
    Não posso me desculpar
    Não canto prá enganar
    Vou pegar minha viola
    Vou deixar você de lado
    Vou cantar noutro lugar
    Na boiada já fui boi
    Boiadeiro já fui rei
    Não por mim nem por ninguém
    Que junto comigo houvesse
    Que quisesse ou que pudesse
    Por qualquer coisa de seu
    Por qualquer coisa de seu
    Querer ir mais longe
    Do que eu…
    Mas o mundo foi rodando
    Nas patas do meu cavalo
    E já que um dia montei
    Agora sou cavaleiro
    Laço firme e braço forte
    Num reino que não tem rei

    09/05/2011 às 22:42

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s