"A verdadeira poesia não diz nada, apenas destaca as possibilidades. Abre todas as portas. As pessoas podem atravessar aquela que se lhes ajusta." Jim Morrison

Memórias mortas

Deitado

Esparramado pelo chão

As memórias mortas estão em meus braços

Tudo que em que sempre acreditei

Acabou

Agora vejo as coisas como são

Sem ilusões

Sem medo

Apenas conformado

E desgostoso

Pois, não esperava que fosse assim

Tentei me enganar por anos

Mas, agora percebo que foi inútil

Percebo que sempre soube

Que, aos poucos

Essas imagens sempre apareciam

E nada o fazia ir embora!

As duvidas permanecem

Os momentos se acabam

Nada é para sempre

Minto,

As duvidas são eternas

Elas sempre me acompanham

Elas sempre me prendem

Elas sempre me deixam sem palavras!

Sempre me deixam rodeados

Rodeados de memórias mortas

Cujo qual me prendia

Para as qual derramei lagrimas

Até perceber que tudo estava errado

Que nada era igual

Que aos poucos

Tudo foi mudando

E eu corria atrás de coisas tolas

Mas, sempre em circulo

Corria

Ao invés, de deixá-las virem

Corria

Até cair

E perceber que era em vão…

Pablo S Rosa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s