"A verdadeira poesia não diz nada, apenas destaca as possibilidades. Abre todas as portas. As pessoas podem atravessar aquela que se lhes ajusta." Jim Morrison

Delírios

A noite vem descendo devagar, as estrelas começam a surgir e eu estou aqui, sentado, entre uma pilha de latas. Os ponteiros passam rápido, mas, eu continuo aqui, acordado, abrindo outra lata para afogar meus pensamentos. As nuvens vão cobrindo as estrelas, os ponteiros reduzem o ritmo e eu tenho certeza, que Morfeu me abandonou.
Outra lata aberta, outra lata para minha coleção, agora, não consigo olhar para frente, pois, as lembranças passam diante dos meus olhos. Sinto meu sangue correr por meu corpo, mas não sinto meu coração bater. A cada lembrança que passa diante dos meus olhos, um pedaço de mim é arrancado.
Mais um minuto, mais uma lata, mais uma lágrima. Fecho os olhos devagar, pois, me recuso a ver estas imagens passando. Fecho os olhos devagar e ouço apenas a minha respiração. Fecho os olhos e, em segundo, todas as lembranças começam a sumir, esvair-se aos poucos, como poeira no vento. Fecho os olhos, sei que você está aqui, ao meu lado, pena que isto não vai durar até eu abrir os olhos.

Pablo S Rosa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s