"A verdadeira poesia não diz nada, apenas destaca as possibilidades. Abre todas as portas. As pessoas podem atravessar aquela que se lhes ajusta." Jim Morrison

Summertime

Às vezes eu sinto como se nada fizesse sentido. Às vezes eu sinto como se o mundo continuasse e eu ficasse aqui, parado, enterrado neste buraco que eu chamo de vida. Enterrado neste buraco, onde ninguém pode me tocar.
Eu me agarro aos meus últimos desejos como se isso pudesse me salvar. Eu me agarro as ultimas lembranças, como se isso fosse aliviar a dor. Eu me agarro, com toda a minha força, a cada fragmento que restou na esperança de poder junta-los, na esperança de que isso diminua a minha dor.
Eu continuo agarrado, mantendo viva está esperança, mantendo viva esta dor. Eu continuo agarrado e nem reparo que o verão já chegou. Nem reparo que as flores já cresceram ao meu redor. Nem reparo porque elas só crescem, murcham e morrem, mas, também não reparei que sempre que elas morrem outras nascem em seu lugar. Nem reparo neste misero detalhe que poderia ter me ajudado.
Vivendo aqui todo esse tempo e nem me preocupei em olhar para o lado. Vivendo aqui todo esse tempo, agarrado ao meu passado que só me puxava para baixo. Vivendo aqui todo esse tempo e nem percebi que para conseguir subir era necessário deixar algumas coisas para trás. Vivendo aqui todo esse tempo e nem percebi que já era verão.

Pablo S Rosa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s