"A verdadeira poesia não diz nada, apenas destaca as possibilidades. Abre todas as portas. As pessoas podem atravessar aquela que se lhes ajusta." Jim Morrison

Tão real

Suavemente eu deixo de sentir o sangue em minhas veias
Gentilmente, eu sinto meu corpo se dividir em mais pedaço do que eu posso contar
Devagar, eu sinto a dor ocupar cada pedaço que restou de mim.
Parecia tão real olhar em seus olhos
E só ver alegria
Parecia tão real sentir sua voz tocando meu peito
Parecia tão real escutar seu toque acalmando-me
Parecia tão real colecionar memórias
Parecia tão real…
Perdoe-me, mas não posso continuar
Eu deixei você entrar ( e você entrou)
Mas, só quis sair
Deixando espaços vazios no meu peito
Deixando buracos onde o ódio pôde crescer
E consumir-me, pouco a pouco
Até tomar-me por completo e transbordar pelos meus olhos
Perdoe-me, mas parecia tão real
Parecia tão real quanto as memórias que eu guardei
Parecia tão real que eu me apeguei demais
Parecia tão real que eu fechei os olhos para não ver acabar
Perdoe-me, mas não dá…
Eu sei que o sol vai nascer de novo
Eu sei que, lá no fundo, o mundo é belo
Eu sei, mas eu só queria abrir os olhos para poder enxergar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s